Escolha em Ordem Alfabética os tema a serem procurados.


[ A ] - [ B ] - [ C ] - [ D ] - [ E ] - [ F ] - [ G ] - [ H ] - [ I

[ J ] - [ K ] - [ L ] - [ M ] - [ N ] - [ O ] - [ P ] - [ Q ] - [ R ]

 [ S ] - [ T ] - [ U ] - [ V ] -  [ W ] - [ X ] - [ Y ] - [ Z ]


   

   
-  C  -

cabeceio - No jargão de usuários de drogas, estado de semi-estupor apresentado por usuários de heroína e de altas doses de metadona, depois da diminuição dos efeitos eufóricos iniciais. Caracteriza-se pelo balançar da cabeça, cabeça baixa e pálpebras caídas.

cacofagia (coprofagia) - Trata-se, a Cacofagia, de uma alteração do paladar e do apetite que acaba por induzir a pessoa a comer coisas repugnantes, como por exemplo, fezes (Coprofagia). As severas alterações da personalidade, como é a Deficiência Mental Severa pode produzir esse sintoma, assim como os casos de deterioração mental severa da Esquizofrenia crônica.

cacosmia -  A Cacosmia é uma alteração do olfato, na qual o paciente relata como sendo agradáveis odores muito desagradáveis ou, ao contrário, percebe como muito desagradáveis odores neutros ou agradáveis. A Cacosmia deve determinar cuidadosa investigação neurológica por ser comum nos casos de tumores cerebrais.

cafeína - Xantina que é estimulante leve do sistema nervoso central, vasodilatador e diurético. A cafeína é encontrada no café, chá, chocolate, guaraná. Coca-Cola e outros refrigerantes, em alguns casos juntamente com outras xantinas tais como teofilina ou teobromina. Denomina-se cafeinismo o uso excessivo crônico ou agudo (p.ex.,consumo diário de 500mg ou mais) com conseqüente toxicidade. Os sintomas incluem inquietação, insônia, rubor facial, contração muscular, taquicardia, perturbações gastrintestinais (p.ex., dores abdominais) tensão, pensamento e fala acelerados e desorganizados e, algumas vezes, exacerbação de uma ansiedade preexistente ou estados de pânico, depressão ou esquizofrenia. Os transtornos por uso de substâncias da CID-10 incluem os transtornos causados pelo uso e a dependência de cafeína (classificadas em F15).

cálcio - É um elemento do organismo, constituinte dos dentes e dos ossos. Participa também da contração muscular e auxilia o controle do ritmo cardíaco. O seu metabolismo é regulado pela vitamina D. Relaciona-se também com a coagulação do sangue e com os impulsos nervosos. A sua falta obriga o organismo a retirá-lo dos ossos tornando os mesmos mais fracos.

Após os 40 anos há uma queda do cálcio no organismo devido a um declínio na sua absorção pelo intestino. Na menopausa a diminuição do hormônio estrógeno provoca a diminuição da fixação do cálcio nos ossos, daí ser a osteoporose mais freqüente entre as mulheres neste período. A deficiência de vitamina D (ingestão inadequada e a pouca exposição à luz solar) é também causa de queda de cálcio na III Idade. Doenças renais e distúrbios do sistema digestivo podem também levar a diminuição do cálcio.

A deficiência do cálcio provoca tremores e contrações musculares e a sua correção pode ser feita pelo aumento da ingestão e pela correção da causa básica.

Os alimentos ricos em cálcio são o leite e seus derivados, o agrião, o espinafre e o feijão. A suplementação da dieta com cálcio é recomendável para mulheres a partir da menopausa com intuito de evitar a osteoporose. O aumento na ingestão de cálcio é recomendada após os 40 anos.

O excesso de cálcio é uma situação incomum e em geral está relacionada a doença cancerosa com metástases ósseas ou a intoxicação por vitamina D. Pode também ocorrer nas disfunções da glândula tireóide. Os sintomas do aumento de cálcio são discretos, podendo ocorrer inapetência, náuseas e vômitos. O tratamento varia em função da causa básica.

cálculo de widmark - Ver Teor Alcoólico no Sangue.

cannabis (maconha) - Cannabis é um termo genérico usado para referir os vários preparados do cânhamo (Cannabis sativa). Isso inclui a folha de maconha ou diamba (com variada sinonímia de gíria), o cânhamo-da-índia ou haxixe (derivado da resina dos extremos floridos da planta) e o óleo de haxixe.

Na Convenção Única de Narcóticos e Drogas de 1961, a cannabis foi definida como "as extremidades floridas ou frutificadas da planta de cannabis (excluindo as sementes e as folhas sem aquelas extremidades) das quais a resina não foi extraída", enquanto que a resina da cannabis é "a resina bruta ou purificada, extraída da planta da cannabis".

As definições são baseadas na terminologia tradicional indiana como ganja (=cannabis) e charas (=resina). Um terceiro termo indiano, o bhang se refere às folhas. O óleo de cannabis (óleo de haxixe, cannabis líquida ou haxixe líquido) é um concentrado de cannabis obtido pela extração geralmente através de um óleo vegetal (José Manoel Bertolote - Glossário de Termos de Psiquiatria, 1997 - Artes Médicas).

O termo marijuana é de origem mexicana. Originalmente um termo usado para o tabaco barato, ocasionalmente misturado com cannabis. tornou-se um termo genérico para as folhas de cannabis ou a cannabis, em geral, em muitos países. O haxixe, inicialmente um termo utilizado para a cannabis nas áreas do Mediterrâneo oriental, é hoje utilizada para a resina da cannabis.

A cannabis contém pelo menos 60 canabinóides, muitos dos quais biologicamente ativos. O componente mais ativo é o delta-tetrahidrocanabinol (THC), o qual, bem como seus metabólitos, pode ser detectado na urina várias semanas após seu uso (geralmente após ter sido fumado).

A intoxicação pela cannabis produz sensação de euforia, leveza dos membros e geralmente retração social. Prejudica a capacidade de dirigir veículos, bem como de outras atividades complexas que requerem habilidade; prejudica a memória imediata, a capacidade de concentração, os reflexos, a capacidade de aprendizado, a coordenação motora, a percepção de profundidade, a visão periférica, a percepção do tempo (a pessoa geralmente tem a sensação de lentificação do tempo) e a detecção de sinais.

Outros sinais de intoxicação podem incluir ansiedade excessiva, desconfiança ou idéias paranóides em alguns e euforia ou apatia em outros, juízo crítico prejudicado, irritação conjuntival, aumento de apetite, boca seca e taquicardia. A cannabis às vezes é consumida com álcool, o que aumenta os efeitos psicomotores.

Há registros de que o uso da cannabis pode precipitar recaídas em casos de esquizofrenia. Estados de ansiedade e pânico agudos, e estados delirantes foram também relatados na intoxicação por cannabis; estes geralmente regridem em alguns dias. Os canabinóides são às vezes usados terapeuticamente para glaucoma e para as náuseas em tratamentos quimioterápicos do câncer.

Os transtornos por uso de canabinóides estão incluídos nos transtornos por uso de substância psicoativa na CID-10 (classificados em F12). São sinônimos: Maconha, Marihuana e Marijuana.

canibalismo - antropofagia - Canibalismo é a atitude de comer o animal da mesma espécie, portanto, não é monopólio do ser humano, já que outros animais podem devorar seus pares, filhotes, etc. Quando o Canibalismo afeta o ser humano chama-se Antropofagia.

Evidentemente, na avaliação do comportamento, não podemos considerar o ato humano isoladamente mas, sempre, inserido num determinado contexto. Existem determinadas atitudes perfeitamente aceitas em certas culturas e consideradas aberrantes em outras. 

É o caso, por exemplo, da Antropofagia, em algumas culturas (e algumas épocas). poderia ser entendida como uma atitude nobre, de vencedores. Atualmente, na expressiva maioria dos casos é indício de severa patologia mental.

Sabemos que, de acordo com determinadas exigências situacionais extremas, indivíduos psiquicamente normais podem atuar maneira tal que, em outras circunstâncias mais amenas, seriam considerados francamente patológicos. Veja-se, por exemplo, o caso da antropofagia registrada em desastres dantescos. Mais uma relatividade dos critérios, neste caso, situacional.

câncer cerebral - Os tumores cerebrais são raros acima dos 70 anos. Até os 70 anos os principais tumores são as metástases de tumores em outros locais, os tumores próprios do sistema nervoso (gliomas) e os tumores das meninges (meningeomas). As principais manifestações são a dor de cabeça e a crise convulsiva. É freqüente também a mudança de comportamento e a confusão mental. Os tumores cerebrais podem ser confundidos com um Acidente Vascular Cerebral ou um Hematoma Subdural. A tomografia computadorizada e a ressonância nuclear magnética são fundamentais para o diagnóstico. O tratamento envolve cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

capacidade de enfrentamento (Ing.: coping) - Capacidade de ajustamento, adaptação, resolução de problemas e vencer desafios. Uma capacidade de reação individual que reflete a interação de múltiplos fatores, incluindo bagagem genética, história pessoal do aprendizado e do desenvolvimento do indivíduo e estrutura de personalidade.

caráter - De acordo com Reich, o Caráter é composto das atitudes habituais de uma pessoa e de seu padrão consistente de respostas para várias situações. Inclui atitudes e valores conscientes, estilo de comportamento (timidez, agressividade e assim por diante) e atitudes físicas (postura, hábitos de manutenção e movimentação do corpo).

Na psiquiatria clássica o Caráter é o atributo funcional da Personalidade responsável pela volição (vontade) e pelos conceitos éticos e morais. Assim sendo, o sociopata ou a pessoa que se conduz emancipada dos conceitos morais e éticos, bem como aquela que não consegue dominar sua vontade seria portadora de um transtorno de Caráter.

As neuroses (algumas) também podem ser entendidas como alterações do Caráter. A chamada Personalidade Neurótica ou, conforme termo de Henri Ey, do Caráter Neurótico, implica nas Disposições Pessoais, no arranjo peculiar dos Traços no interior do eu, da modelagem afetiva no desenvolvimento da Personalidade, da história biológica e existencial do indivíduo e das exigências adaptativas que a vida solicita.

Patologicamente podemos dizer, também, que a pessoa portadora da Personalidade Borderline, embora seja bem menos perturbada que os psicóticos, são muito mais complexas que os neuróticos, embora possam ter deformações de caráter tanto quanto nas personalidades sociopáticas.

Estas personalidades sociopáticas ou psicopáticas, devido aos defeitos de caráter, costumam fazer com que a pessoa demonstre uma absoluta falta de sentimentos diante de estímulos importantes.

Ao estudarmos as perturbações mentais, em muitos casos vamos ver que se tratam de reações cuja natureza não é só determinada pela situação vivencial psicotraumática, mas também pelas predisposições da personalidade. A maioria das reações psíquicas mórbidas desenvolve-se em função de uma perturbação de Caráter que predispõe a elas.

cardiomiopatia alcoólica - Ver Cardiopatia Alcoólica.

cardiopatia alcoólica (142.6) - Transtorno difuso do músculo do coração, observado em indivíduos com uma história de consumo arriscado de álcool, geralmente de no mínimo 10 anos de duração. Os pacientes caracteristicamente apresentam insuficiência biventricular do coração; os sintomas mais comuns incluem: diminuição do fôlego durante esforço e deitado (dispnéia noturna), palpitações, edema de tornozelos e distensão abdominal (devido à ascite). É comum o transtorno do ritmo cardíaco; a fibrilação auricular é a mais freqüente arritmia. A cardiopatia alcoólica deve ser diferenciada do beribéri cardíaco e de uma forma da “cardiomiopatia dos bebedores de cerveja”, causada pelo envenenamento por cobalto. Sinonímia: Doença Alcoólica do Músculo Cardíaco.

catarse – Liberação saudável (terapêutica) das idéias através de um "falar" sobre o material consciente, acompanhada por uma reação emocional apropriada. Além disso, liberação, para a consciência, do material reprimido, que estava no inconsciente.

catalepsia - Flexibilidade cérea - manutenção rígida de uma posição corporal por um extenso período de tempo.

cataplexia - Episódios de súbita perda bilateral do tônus muscular, resultando em colapso do indivíduo, freqüentemente em associação com intensas emoções tais como riso, raiva, medo ou surpresa.

catatonia -
Conjunto de alterações qualitativas da psicomotricidade e da volição que inclui: estereotipias, maneirismos, obediência automática, catalepsia, ecocinesia e ecopraxia, mutismo, negativismo, automatismos e atos impulsivos. Estes fenômenos podem ocorrer contra um fundo de hipercinesia, hipocinesia ou acinesia. A catatonia foi descrita por Kahibaum como uma doença em separado em 1874, mas foi posteriormente considerada por Kraepelin como um dos subtipos da demência precoce (esquizofrenia). Os fenômenos catatônicos não se limitam às psicoses esquizofrênicas e podem ocorrer em doença cerebral orgânica (p.ex., encefalite), outras doenças físicas e doenças afetivas.


catexe - Vinculação, consciente ou inconsciente, de sentimentos de importância emocional a uma idéia, objeto ou mais habitualmente, a uma pessoa.

cefaléia (dor de cabeça) - A dor de cabeça ou cefaléia é um tipo de dor muito freqüente que pode estar relacionado desde um simples quadro gripal até a um tumor cerebral, passando por intoxicações alimentares como ocorre no excesso de ingestão de álcool. Na grande maioria das vezes, entretanto, as dores de cabeça são devidas à tensão muscular e estão relacionadas a estados psicológicos como a ansiedade, a angústia e o "stress".

Pode surgir subitamente e em geral é acompanhada de outros sintomas como vômitos, suor frio, palpitações ou pressão alta. Pode também ser crônica, existente há meses ou anos, e produzir desânimo, perda de apetite, alterações de sono e de humor.

A enxaqueca é uma dor de cabeça sofisticada que se deve à dilatação de determinadas artérias cerebrais. Ocorre em crises de dor tipo latejante, em geral em uma metade da cabeça (daí também ser conhecida como hemicrania) acompanhada por vômitos, fotofobia, mudanças de humor, e formigamentos. Pode ser precedida por um sinal indicativo do início da crise, como o aparecimento súbito de pontos luminosos na visão ou iniciar-se sem qualquer aviso. A enxaqueca pode estar relacionada com o ciclo menstrual, determinados alimentos, álcool, certos perfumes, "stress", etc. A enxaqueca é mais comum entre mulheres e em geral se inicia na juventude com tendência a desaparecer após os 50 anos de idade. A identificação da causa que leva à crise (fator desencadeante) é fundamental para o tratamento. Sua causa mais comum é a tensão nervosa ou "stress".

Toda cefaléia deve ser bem investigada. Apesar da baixa incidência de causas orgânicas o estudo médico deve ser sempre completo. Nas doenças neurológicas como o tumor cerebral ou a meningite a cefaléia se deve ao aumento da pressão dentro cabeça produzindo dor contínua com piora ao se realizar esforços e também ao deitar-se. Na sinusite a dor é em peso e em geral na fronte. A pressão alta é uma causa importante de dor de cabeça quem em geral é matinal. Nos problemas de acuidade visual a dor em geral é acompanhada de ardor nos olhos e lacrimejamento. Alguns medicamentos, com destaque para aqueles utilizados no controle da angina de peito, podem levar a dores intensas.

O estado depressivo caracteriza uma situação que com freqüência leva à dor crônica. Infecções dentárias, inflamações do ouvido e problemas com a articulação têmporo-mandibular são situações que podem levar a dor na face e na cabeça. A nevralgia do trigêmeo é uma dor muito rara e muito característica que atinge a face provocando dores muito fortes semelhantes a choques elétricos.

Na maioria das vezes a avaliação clínica bem feita com a correta caracterização da dor faz o diagnóstico sem qualquer tipo de exame secundário, principalmente nas situações em que a dor é crônica. A dor de cabeça de aparecimento recente deve ser sempre muito bem investigada.

A Radiografia Simples do Crânio muitas vezes pode dar rapidamente o diagnóstico, como nos caso de uma sinusite. A Tomografia Cerebral ou a Ressonância Nuclear Magnética são os exames básicos para o estudo do cérebro. O exame do Líquor deve ser sempre realizado quando se suspeita de uma infecção tipo meningite.

Seu tratamento utiliza remédios analgésicos e antiinflamatórios. Na enxaqueca os medicamentos em geral contêm substâncias que previnem o vômito associadas a vasoconstritores. As pessoas que tem crise de enxaqueca precedida de um aviso devem tomar a medicação se possível antes de se iniciar a dor.

Nas situações de ansiedade e "stress" medidas relaxantes, caminhadas, atividades esportivas como a natação e massagens podem ser úteis. Quando há indicação deve-se recorrer à psicoterapia. A acupuntura realizada por pessoa habilitada pode trazer excelentes resultados no tratamento de dores de causa tensional.

Evidentemente o sucesso no tratamento é decorrente da descoberta da causa precisa que está levando à dor.

cefaléia de tensão - Sensação de aperto, pressão ou dor surda que pode ser generalizada ou ainda, mais tipicamente, aparecer sob a forma de faixa ou banda. Como alteração transitória, está usualmente associada com as circunstâncias indutoras de estresse da vida diária, mas, quando persistente, pode ser representativa de um estado de ansiedade ou de uma depressão.

cenestesia & cinestesia - Cenestesia é a consciência (senso-percepção) que temos do próprio corpo, é a representação consciente do próprio corpo, de sua posição, de seu movimento, de sua postura em relação ao mundo à sua volta e em relação aos suas diversas partes e segmentos.

Quando existe uma percepção falseada dos órgãos internos ou do esquema corporal falamos em Alucinações Cenestésicas. Nestes casos os pacientes sentem como se tivessem seu fígado revirado, esvaziado seu pulmão, seus intestinos arrancados, o cérebro apodrecido, o coração rasgado, e assim por diante.

Cinestesia já diz respeito à senso-percepção dos movimentos corporais e em relação ao ambiente à sua volta. As Alucinações Cenestésicas devem ser diferenciadas das Alucinações Cinestésicas, que não dizem respeito à sensação tátil, mas sim aos movimentos (cine=movimento). Nas cinestesias os pacientes percebem as paredes movendo-se ou eles próprios movendo-se no espaço.

cheirar cola
- Ver Substâncias Voláteis.

choque cultural (F43.2) - Estado de isolamento social, ansiedade e depressão decorrente da dificuldade para adaptar-se à nova realidade cultural que ocorre quando um indivíduo muda repentinamente de uma cultura, para outra. O termo descreve o estresse experimentado por uma pessoa subitamente colocada em uma cultura estranha, ou que reentra na sua própria cultura após um longo tempo de ausência, ou simultaneamente, compartilha duas ou mais diferentes culturas. E freqüente entre migrantes, mas pode também ocorrer quando as circunstâncias de vida mudam radicalmente dentro da mesma sociedade.

Imediatamente após a relocação, o migrante pode vivenciar um pequeno estresse e pode até mesmo desfrutar de certos aspectos do novo contexto. Com a manutenção da residência por mais de algumas semanas ou meses, aparece um leve estresse psicológico. Os sintomas e sinais associados com este estado variam de um indivíduo para outro, mas freqüentemente envolve perturbações leves de ansiedade, do humor ou do comportamento. Esta condição comumente se resolve em alguns meses ou em dois anos, no máximo; menos freqüentemente pode surgir um transtorno psiquiátrico grave que perturba o processo de ajustamento cultural. O choque cultural pode também ocorrer entre migrantes internos que se deslocam para outras áreas, mantendo-se o mesmo grupo cultural, ou quando as condições de vida mudam radicalmente dentro de uma mesma sociedade. Mais recentemente, tem sido sugerido que a expressão “luto cultural” refletiria, mais precisamente, a origem desta condição, na qual o indivíduo que sofre não está apenas se ajustando às circunstâncias de uma nova cultura, mas também se dando conta da perda da cultura anterior.

ciclos vitais - Ver Transições de Ciclos Vitais.

ciclotimia (F34.0) - Instabilidade persistente do humor, envolvendo períodos numerosos de depressão e hipomania, sendo que nenhum destes é suficientemente grave ou prolongado para justificar um diagnóstico de transtorno afetivo bipolar ou transtorno depressivo recorrente. Originalmente, o termo foi introduzido por Kahibaum (1828-1899) para designar as formas mais leves de psicose maníaco-depressiva; subseqüentemente o conceito foi também aplicado para transtornos de personalidade caracterizados por anomalias afetivas.

cirrose alcoólica (K70.3) - Grave forma de hepatopatia alcoólica caracterizada por necrose e deformação permanente da arquitetura do fígado devido à formação de tecido fibroso e nódulos regenerativos. Esta é uma definição estritamente histológica, porém o diagnóstico com freqüência é clínico.

A cirrose alcoólica acontece principalmente na faixa etária de 40 a 60 anos, depois de no mínimo 10 anos de uso arriscado de álcool. Os indivíduos apresentam sintomas e sinais de descompensação hepática, tais como ascite, edema de tornozelos, icterícia, hematomas, hemorragia gastrintestinal procedentes de varizes esofágicas e confusão ou estupor devido à encefalopatia hepática. Por ocasião do diagnóstico, cerca de 30% dos pacientes estão “compensados” e relatam queixas inespecíficas, tais como dor abdominal, perturbações intestinais, perda de peso e de massa muscular e fraqueza. O câncer de fígado é uma complicação tardia da cirrose em aproximadamente 15% dos casos.

A cirrose alcoólica é algumas vezes designada de “cirrose portal” ou "cirrose de Laennec", embora nenhum destes termos implique necessariamente uma causa alcoólica. Em países não tropicais nos quais o consumo de álcool é substancial, o uso do álcool é a principal causa da cirrose. Devido à deficiência de registros de consumo de álcool, a soma global de mortalidade por cirrose — mais que “cirrose com menção de alcoolismo” — é freqüentemente usada como indicador de problemas ligados ao álcool. Ver Fórmula de Jellinek.

ciúme alcoólico (F10.5) - Tipo de transtorno psicótico crônico provocado pelo álcool, caracterizado por delírios de que o parceiro conjugal ou sexual é infiel. O delírio é caracteristicamente acompanhado de uma procura intensa da evidência da infidelidade e acusações diretas que podem levar a discussões violentas. Inicialmente foi visto como uma entidade diagnóstica específica, mas agora esta consideração é controvertida. Sinonímia: Paranóia Amorosa; Paranóia Conjugal. Ver Transtorno Psicótico Induzido por Álcool ou Droga.

classe - Ver status.

claustrofobia (F40.2) - Medo patológico de estar em lugares fechados com limitada possibilidade de saída instantânea.

cleptomania - Ver Furto Patológico.

coalcoólatra - Ver Codependente.

cobiça - Termo usado por Sullivan relativo aos primeiros desejos sexuais que aparecem no início da adolescência.

cocaína - Alcalóide obtido das folhas de coca (Erythroxylon coca) ou derivado sinteticamente da ecgonina ou de seus derivados. O hidrocloreto de cocaína era comumente usado como anestésico local em odontologia, oftalmologia e cirurgias de ouvido, nariz e garganta, dada à sua forte ação vasoconstritora, auxiliar na redução das hemorragias locais. A cocaína é um poderoso estimulante do sistema nervoso central, usado não- medicamentosamente para produzir euforia ou “ligação”; o uso constante produz dependência. A cocaína ou "coca" é geralmente vendida como cristais brancos e translúcidos, ou em pó ("farinha" ou "pó"), freqüentemente adulterada com açúcares ou anestésicos locais. O pó é aspirado (“cheirado” ou “cafungado”) e produz efeitos entre 1-3 minutos que duram em torno de 30 minutos. A cocaína pode ser ingerida oralmente, geralmente com álcool; os usuários de opióides e cocaína combinados geralmente os injetam por via intravenosa. Freebase (elementos alcalinos) são utilizados para aumentar a potência da cocaína pela extração do alcalóide puro através da inalação dos vapores em cigarros ou cachimbo de água (narguilé). Uma solução aquosa de sal de cocaína é misturada com um álcali (como bicarbonato de sódio) e o extrato é obtido através de um solvente orgânico como o éter ou hexano. O procedimento é perigoso, uma vez que a mistura é explosiva e altamente inflamável. Um procedimento mais simplificado que evita o uso de solventes orgânicos consiste em aquecer o sal de cocaína com bicarbonato de sódio; isto produz o crack.

O crack é uma cocaína alcaloidal (básica), um composto amorfo que pode conter cristais de cloreto de sódio. E um composto de coloração bege. Crack refere-se ao som de estalido provocado quando o composto é aquecido. Um efeito intenso ocorre de 4-6 segundos após a inalação do crack. Um sentimento de exaltação e de desaparecimento de ansiedade é experimentado, juntamente com um exagerado sentimento de confiança e auto-estima. Há também uma perturbação do juízo crítico e o usuário tende a cometer atos irresponsáveis, ilegais ou perigosos, sem atentar para as conseqüências. A fala é acelerada e pode tornar-se desconexa e incoerente. Os efeitos agradáveis terminam em torno de 5-7 minutos, depois disso o humor rapidamente muda para depressão e o consumidor é compelido a repetir o processo de forma a recuperar a euforia do ápice. A superdose parece ser mais freqüente com o crack que com outras formas de cocaína.

A interrupção do uso contínuo de cocaína é geralmente seguida por uma crise que pode ser vista como síndrome de abstinência, na qual a exaltação dá lugar à apreensão, depressão profunda, sonolência e inércia.

Reações tóxicas agudas podem ocorrer tanto no consumidor de cocaína principiante quanto no inveterado. Essas reações incluem delirium semelhante ao pânico, hiperpirexia, hipertensão (algumas vezes com hemorragia subdural ou subaracnóide), arritmias cardíacas, infarto do miocárdio, colapso cardiovascular, convulsões, estado de mal epiléptico e morte. Outras seqüelas neuropsiquiátricas incluem uma síndrome psicótica com delírios paranóides, alucinações visuais e auditivas e idéias de auto-referência. "Luzes na neve" (snow lights) é o termo usado para descrever alucinações ou ilusões que lembram o brilho do sol nos cristais de neve. Efeitos teratogênicos foram descritos, incluindo anormalidades do trato urinário e deformidade dos membros. Os transtornos por uso de cocaína estão entre os transtornos por uso de substâncias psicoativas incluídas na CID-10 (classificadas em F14).

codeína - Ver Opióide.

codependente - Parente, amigo próximo ou colega de uma pessoa alcoolista ou dependente de droga cujas reações são definidas por este termo como tendendo a perpetuar a dependência daquela pessoa e daí retardar o processo de recuperação. No início dos anos 1970, os termos "coalcoolista" e "coalcoolismo" passaram a ser usados entre os que se tratavam de alcoolismo nos EUA, para caracterizar parentes próximos de alcoolistas (inicialmente a esposa em particular). Com a mudança na terminologia de alcoolismo para dependência de álcool, "codependente direto" e "codependência" passaram a ser usados também para se referir aos parentes dos dependentes de outras drogas. O uso do termo implica uma necessidade de tratamento ou ajuda e há quem proponha classificar a codependência como um transtorno psiquiátrico. O termo é também usado atualmente no sentido figurado para se referir à comunidade ou sociedade que age como um facilitador da dependência de álcool ou droga. Ver Filho de Alcoolista.

cognição - Termo geral que abrange a aquisição de conhecimentos por meio de qualquer um dos vários processos mentais, como conceitualização, percepção, julgamento ou imaginação. O domínio cognitivo é tradicionalmente contrastado com o domínio conativo (relativo à volição ou à psicomotricidade) e com o domínio das emoções.

cognitivo, desenvolvimento - Começando na infância, a aquisição de inteligência, pensamento consciente e habilidades para a solução de problemas. Uma seqüência ordenada no aumento do conhecimento, derivada da atividade sensório-motora, demonstrada empiricamente por Piaget.

colite ulcerativa ou retocoliteulcerativa - A Colite Ulcerativa (Retocolite Ulcerativa) é uma doença psicossomática e inflamatória que afeta o intestino grosso. É descrita como um processo inflamatório que compromete o intestino grosso, fazendo com que a mucosa intestinal se apresente inflamada, vermelha, coberta de muco e com ulcerações.

No início do século 20, a Retocolite Ulcerativa era considerada crônica, irreversível, comprometendo, na maioria das vezes, o reto e o colón sigmóide podendo haver o aparecimento dos pseudopólipos, tidos como seqüelas da moléstia de evolução mais longa. A retocolite Ulcerativa está incluída no capítulo das Doenças Psicossomáticas. Nessa mesma década, foi descrito a forma fulminante da Retocolite Ulcerativa, com o megacólon tóxico.

A Retocolite Ulcerativa é uma doença relativamente comum nos países desenvolvidos. Estima-se que a incidência populacional da Retocolite Ulcerativa esteja entre 3 a 7 casos por ano para cada 100.000 habitantes. Isso dá uma prevalência global na população de 30-90 casos por 100.000 pessoas. Nos EUA e nos países do norte europeu, a incidência da Retocolite Ulcerativa fica ao redor de 5 a 10 por ano por 100.000 com prevalência de 50 a 100 casos por 100.000 pessoas da população geral. A incidência familiar da doença varia de 1 a 5%, havendo dados de 15 a 20%.

coma - O estado de coma é a alteração do estado de consciência. Traduz uma lesão que provocou o desligamento das funções cerebrais superiores que são responsáveis pela manutenção do estado de consciência. A graduação do estado de coma vai de um estado mais superficial quando pode ocorrer movimentos espontâneos como a abertura dos olhos, até estado mais profundo quando não há possibilidade de ocorrer uma respiração espontânea nem condições de se manter a pressão arterial em níveis normais. Representa sempre grave insulto ao cérebro ocorrendo nas hemorragias cerebrais extensas, tumores cerebrais, nos traumatismos cranianos graves e nos distúrbios metabólicos severos. O diabetes descontrolado pode evoluir para o estado de coma. Há sempre necessidade de cuidados intensivos.

coma insulínico - 1. O nível mais profundo de hipoglicemia induzida pela insulina. 2. Uma forma de tratamento de transtornos psiquiátricos (essencialmente transtornos esquizofrênicos) introduzida por Sakel em 1933 e que já caiu em desuso.

comorbidade - Coexistência simultânea de mais de um diagnóstico, que é uma imposição do processo diagnosticador analítico-descritivo. É usado com freqüência para se referir à coexistência dos diagnósticos de síndrome de dependência (geralmente de álcool) e de um outro transtorno mental. Ver Duplo Diagnóstico.

compensação - Mecanismo mental, operando inconscientemente, pelo qual o indivíduo tenta compensar por deficiências reais ou imaginárias; o processo consciente pelo qual o indivíduo luta para compensar defeitos reais ou imaginados em áreas tais como psique, desempenho, habilidades ou atributos psicológicos - os dois tipos freqüentemente fundem-se.

complexo - Grupo de idéias associadas que têm um tom comum emocional forte; podem ser parcialmente inconscientes e influenciar significativamente as atitudes e associações.

complexo de Édipo - Situação que acontece durante a fase falira do desenvolvimento psicossexual (aproximadamente dos 3 aos 6 anos), no qual a criança transfere suas energias para o interesse sexual pelos pais. A criança normalmente apega-se mais a figura parental do sexo oposto e desenvolve sentimentos competitivos para com o membro parental do mesmo sexo. Eventualmente, através da identificação com a figura parental do mesmo sexo, ela abandona os ímpetos edipianos.

complexo relacionado a Aids/Sida - Conjunto de sintomas que alguns clínicos consideram ser os indicadores precoces ou os sinais premonitórios da AIDS/SIDA, e que incluem aumento dos linfonodos, suores noturnos, febres persistentes, tosse persistente, diarréias prolongada, perda de peso e desenvolvimento de candidíase (estomatites). Sinonímia: Aids/Sida Prodrômica; Síndrome de Linfoadenopatia Generalizada.

complicações cerebrais da Aids/Sida - Ver Transtornos Neuropsiquiátricos Associados ao VIH.

comportamento afeminado em meninos - Adoção por meninos pré-púberes da aparência indumentária, e comportamento típicos do sexo feminino. O comportamento afeminado precoce em meninos pode ser um precursor ou fator preditivo de orientação homossexual na idade adulta.

comportamento anti-social - Comportamento que tem efeitos deletérios sobre a família, a comunidade ou a sociedade como um todo, embora paralelamente traga algum benefício pessoal para quem o executa. Exemplos incluem roubo, comportamento sexual promíscuo, atear fogo, vagabundagem, estupro, agressão física e assassinato; alguns comportamentos podem ser aceitáveis em algumas sociedades, mas não em outras (p.ex., relações extraconjugais, linguagem obscena, vestuário despudorado). Diferentes culturas mostram tanto similaridades quanto diferenças em aplaudir ou condenar tais comportamentos. Uma sociedade pode expressamente condenar um destes comportamentos, mas fazer muito pouco para identificá-los ou preveni-los, ou mesmo para punir os perpetradores. Comportamentos que podem não ser aceitos dentro de um grupo podem ser aceitos ou mesmo recompensados se perpetrados fora do grupo.

comportamento catatônico - Anormalidades motoras acentuadas, incluindo imobilidade motora (isto é, catalepsia ou estupor), certos tipos de atividade motora excessiva (agitação aparentemente vã não influenciada por estímulos externos, externo negativismo (resistência aparentemente imotivada a instruções ou tentativas de mobilização), ou mutisrno, postura ou movimentos estereotipados e ecolalia ou ecopraxia.

comportamento de chamar atenção - Forma de conduta motivada pelo desejo de ganhar atenção; o comportamento é freqüentemente inapropriado e ocorre na infância e em transtornos de personalidade.

comportamento de doente - Comportamento de uma pessoa que define a si própria como doente e que procura sanção social para o seu papel de enfermo. Os comportamentos de doente incluem expressão de sintomas, queixas de sintomas, busca de assistência à saúde e seguimento de procedimentos de cura.

comportamento de vinculação - Várias formas de comportamento relacionadas primariamente à ligação afetiva entre uma criança e um responsável, principalmente a figura materna, que indicam a todos os envolvidos a necessidade de assegurar proximidade ao responsável e prover segurança, conforto e uma base para descobrimentos. A vinculação mãe-criança, freqüentemente chamada de vínculo materno, tem sido considerada responsável por vários transtornos clínicos em crianças. Pesquisas empíricas têm questionado a validade do conceito.

comportamento do tipo A - Padrão de comportamento descrito inicialmente na América do Norte, caracterizado por ira, impaciência, irritabilidade e exasperação com o passar do tempo. As características do comportamento do tipo A incluem um sentimento de urgência, competitividade, hostilidade e agressividade facilmente desencadeados, freqüente e visivelmente manifestas em tensão facial ou de grupos musculares. Inicialmente descrito por um cardiologista, este padrão estimulou muitas investigações sobre as relações entre traços de personalidade e transtornos cardiovasculares.

comportamento incendiário patológico (F63.1) - Múltiplos atos ou tentativas de atear fogo em propriedades ou outros objetos, sem motivo aparente, e preocupação persistente com assuntos relacionados com fogo e incêndio. O comportamento é freqüentemente associado a sentimentos de tensão crescente antes do ato e excitação intensa imediatamente após o mesmo. Sinonímia: Piromania.

compreensão - Processo de entendimento intelectual que transcende a simples apreensão; é avaliado formalmente por meio de testes de compreensão.

compulsão - Ato ou comportamento repetitivo e estereotipado (p.ex., lavar as mãos, verificar se as janelas ou o gás estão fechados, se as luzes estão apagadas, rezar) que uma pessoa se sente insistentemente obrigada a realizar, apesar da consciência da inutilidade do ato ou de sua indesejabilidade. A compulsão é o equivalente motor e comportamental da obsessão.

Quando aplicado ao uso de substâncias psicoatíuas, o termo refere-se a uma necessidade poderosa de consumir a substância (ou substâncias) em questão, atribuída mais a sentimentos internos do que a influências externas. O usuário da substância pode identificar a necessidade como prejudicial ao seu bem-estar e pode ter uma intenção consciente de refrear-se. Esses sentimentos são menos característicos da dependência do álcool e de droga do que do transtorno obsessivo-compulsivo. Ver Controle Prejudicado; Craving; Pensamentos Obsessivos.

comunicação intrafamiliar perturbada - Transmissões de mensagens anormais ou distorcidas entre os membros da família. Tais distorções aparecem de muitas formas, tais como a ausência de clareza do conteúdo, indiferença ou falta de respostas adequadas, ou inconsistência entre mensagens verbais e não verbais.

comunidade terapêutica - Um ambiente estruturado no qual indivíduos com transtornos por uso de substância psicoativa vivem para alcançar a reabilitação. Tais comunidades são geralmente especificamente designadas para pessoas dependentes de drogas; elas operam sob normas estritas, são dirigidas principalmente por pessoas que se recuperaram de uma dependência, e são geralmente isoladas geograficamente. As comunidades terapêuticas são caracterizadas por uma combinação de "teste de realidade" (através da confrontação do problema relacionado ao uso de droga do indivíduo) e apoio para a recuperação dos funcionários e colegas. Elas têm geralmente uma linha muito similar à dos grupos de ajuda mútua tais como Narcóticos Anônimos.

conceitos - As operações intelectuais se classificam em conceitos, juízos e raciocínio. A atividade sensorial capta infinitas impressões provenientes dos estímulos do mundo exterior, os quais deixam a marca de sua passagem na consciência. Para que essas marcas do mundo exterior possam retornar novamente à consciência ou se cristalizem melhor é necessário que se estabeleçam conexões com representações experimentadas anteriormente como fruto de nossa experiência sensorial e depositadas em alguma parte do cérebro. Então, toda vez que um estímulo primário é assim intensificado de forma adequada, ele adquire nitidez indispensável para se tornar consciente, determinando desse modo a compreensão do seu conteúdo. Dessa forma, a melhor compreensão do objeto estaria na dependência do número de representações despertadas pelo ato perceptivo, o qual está sempre a reforçar o registro da vivência.

A sucessão de repetições das experiências sensoriais durante a vida faz com que as representações vão se tornando mais complexas e variando de indivíduo a indivíduo. Paulatinamente a pessoa passa a ter maior consciência de sua existência e surge a ideação humana, que consiste numa função psíquica onde se sucedem, primeiramente a percepção, seguida pela fixação na memória e, posteriormente, a elaboração e associação das impressões registradas pela consciência. De maneira continuadamente dinâmica, tudo isso se associa aos elementos anteriores de nossa experiência formando, numa primeira fase, os conceitos concretos e, posteriormente, os conceitos abstratos das coisas. Esse processo todo leva à formação de conceitos, de juízos e do pensamento racional.

concretismo - Trata-se de uma modalidade especial de alteração da forma do pensamento, que consiste na incapacidade do indivíduo para fazer a distinção entre o simbólico e o concreto. Seria quase o oposto do derreísmo. Em muitas pessoas, esta manifestação não representa nada de anormal, sendo mais um resultado de incultura ou dificuldade intelectual, em outras pessoas, porém, essa dificuldade de abstrair-se do concreto adquire um caráter nitidamente patológico.

A capacidade de abstração é fundamental ao ser humano e serve, entre outras utilidades, para avaliar os vários aspectos de uma situação, argüir e reagir diante de estímulos que não aparecem intrínseca e concretamente definidos. Pessoas incultas revelam sempre dificuldades na compreensão do simbólico e o ato de captar, rápida e intuitivamente, os vários aspectos de uma situação simbólica requer um bom nível intelectual e cultural. Nas atividades cotidianas não há exigência de nenhuma atitude abstrata, visto tratar-se da execução de atos eminentemente pragmáticos, aprendidos ou até condicionados.

O pensamento concreto sempre se refere ao sensível e se opõe à abstração, tal como o pensamento chamado de primitivo. Falta ao pensamento primitivo e concreto a independência de abstrair-se, estando sempre escravizado ao fenômeno material e o objeto do pensar é sempre o objeto da percepção. Portanto, o conceito de concreto exprime sempre um objeto particular determinado e sensorialmente percebido. O que esse tipo de pensamento consegue produzir está sempre vinculado à analogia.

condensação - Processo psicológico, freqüentemente presente nos sonhos, nos quais dois ou mais concertos estado fundidos de modo que um único símbolo representa múltiplos componentes.

condição intersexual - Uma condição na qual um indivíduo exibe uma mescla, em variados graus, de características de cada sexo, incluindo forma física, órgãos reprodutores e comportamento sexual.  

confabulação - Ver fabulação.

confidencialidade - Termo que indica que algumas modalidades particulares de conhecimento (tais como informação clínica, incluindo o diagnóstico psiquiátrico) são secretas e pertencem apenas ao indivíduo e a certas pessoas privilegiadas (tais como médicos, clérigos, advogados). Além das dimensões legais e éticas deste termo, ele possui suas conotações socioculturais. As sociedades urbanas (nas quais as pessoas tipicamente guardam um razoável anonimato) e as sociedades industrializadas (nas quais o status é conquistado e facilmente perdido) consagram enorme importância à confidencialidade. Em pequenas sociedades rurais (nas quais as pessoas guardam menos segredos em relação aos outros) e em sociedades tradicionais (nas quais o status herdado não pode ser perdido), a confidencialidade tem menos destaque.

confinamento - Processo legal de admissão de uma pessoa mentalmente enferma a um programa de tratamento. A definição legal e o procedimento, nos Estados Unidos, variam de estado para estado, embora isso normalmente exija um processo judicial.

conflito - Luta mental que surge da operação simultânea de impulsos, pulsões e demandas internas ou externas (ambientais) opostos; chamado de intrapsíquico, quando o conflito é entre as forças internas da personalidade; extrapsíquico, quando é entre o self e o ambiente.

conflito de papéis sociais - Percepção de incompatibilidade entre (i) dois ou mais papéis sociais que se espera que um indivíduo desempenhe, ou (ii) entre papel e personalidade. Um conflito de papéis pode também surgir quando um indivíduo é exposto a pressões e demandas irreconciliáveis de grupos diferentes ou quando um papel é definido com ambigüidade. O conflito de papel pode levar a ansiedade, tensão, angústia e baixa de eficiência ou a tentativas de resolução pelo abandono de um ou mais dos papéis incompatíveis, pela redefinição de um papel ambíguo ou pela negociação de um abrandamento de pressões opostas.

conflitos - Os Conflitos Íntimos, juntamente com as frustrações presentes e passadas, os traumas presentes e passados e os Complexos compõem aquilo que chamamos de causas subjetivas para as Neuroses ou para as Reações Vivenciais Não-Normais.

Além das Reações Vivenciais responderem à vivências exteriores ao sujeito, ou seja, aos fatos proporcionados pela sua vida ou por seu destino, existem também sentimentos determinados por reações Interiores (intra-psíquicas) às vivências. Essas motivações intra-psíquicas não são facilmente detectadas por um observador comum. Neste caso, falamos em Conflitos Íntimos.

O ser humano sempre viveu diante do dilema entre aquilo que ele quer realmente (fazer), aquilo que ele deve (fazer) e aquilo que ele consegue (fazer). Portanto, nem sempre estamos fazendo aquilo que queremos, muitas vezes não queremos fazer aquilo que devemos, outras vezes queremos e devemos fazer aquilo que não conseguimos. Enfim, estamos constantemente diante desse conflito.

Essa situação não diz respeito apenas às questões de nossa vida prática, diz respeito também aos nossos sentimentos. Se devemos gostar ou não de determinada pessoa, gostar ou não de determinada atitude nem sempre obedece ao fato de querermos gostar ou não. Às vezes odiamos ou gostamos mesmo não querendo, outras vezes mesmo não devendo, outras vezes ainda, mesmo devendo e querendo não conseguimos.

Estes Conflitos Íntimos são reflexos de desarmonias interiores produzidas por tensões que envolvem situações instintivas, concepções éticas, paixões e sentimentos mais complicados, ou seja, reações determinadas pela força dos conflitos. Muitas vezes, estes conflitos íntimos têm origem em vivências exteriores acontecidas em algum lugar do passado mas, atualmente, pertencendo ao patrimônio da consciência ou do inconsciente.

A idéia de Conflito é melhor entendida como sendo a sensação subjetiva (consciente ou não) da contraposição entre três elementos psíquicos: o que o sujeito quer, o que o sujeito deve e o que o sujeito consegue. Freqüentemente nem tudo o que a pessoa quer, de fato, ela deve, nem sempre o que deve ela quer, e nem sempre o que deve e quer ela consegue. Como se vê, são muitas as combinações entre esses três elementos.

Havendo Conflito, forçosamente este produzirá uma sensação de angústia. Sendo o Conflito universal e fisiológico, não nos interessa mais, do ponto de vista clínico, saber se alguém tem ou não Conflito. O que interessa, de fato, é saber se esse Conflito é suportado satisfatoriamente ou não. No caso de ser satisfatoriamente suportado ou, no caso desse Conflito não implicar em sofrimento, falamos na Angústia Existencial (ou Vivencial) e, caso contrário, havendo dor e sofrimento, em Angústia Patológica ou Angústia Neurótica.

O valor emocional que atribuímos à nossos Conflito, depende sempre da tonalidade afetiva de cada um. É por causa dessa singularidade afetiva das pessoas que muitos conflitos de conteúdo semelhante desempenham diferentes reações em diferentes pessoas. Cada qual tem uma sensibilidade afetiva ao seu Conflito.


confusão mental
- Estado de turvação de consciência associado a doença cerebral orgânica aguda ou crônica. Clinicamente é caracterizada por desorientação, lentificação de processos cerebrais com escassa associações de idéias, apatia, perda da iniciativa, fadiga e atenção empobrecida. Em estados confusionais leves, respostas e comportamentos racionais podem estar presentes ao exame, mas graus mais graves do transtorno não permitem ao indivíduo manter contato com o meio. O termo é também empregado de forma imprecisa para descrever pensamentos desordenados nas psicoses funcionais; este último uso não é recomendado. Sinonímia: Estado Confusional. Ver Turvação da Consciência.

confusio - Orientação perturbada com relação a tempo, lugar ou pessoa; às vezes acompanhada por perturbações da consciência.

congêneres - A rigor, este termo aplica-se aos álcoois (que não o etanol), aldeídos e ésteres que são encontrados nas bebidas alcoólicas e contribuem para o gosto e aroma especiais dessas bebidas. Entretanto, “congêneres” é também usado, informalmente, para referir-se a qualquer constituinte de uma bebida alcoólica que conceda aroma, paladar, cor e outras características, tais como "corpo" para tal bebida. Os taninos e os corantes estão entre os compostos assim denominados.

consciência - Parte moralmente autocrítica dos padrões próprios do comportamento, desempenho e julgamento de valores. Habitualmente equacionada com o superego.

cônscio - Conteúdo da mente ou funcionamento mental do qual se está consciente.

constituição/constitucional - Confabulação ou Fabulação é uma modalidade especial de alteração da memória e atenção, que consiste no relato de temas fantásticos os quais, na realidade, nunca aconteceram. Em grande parte, resultam de uma alteração da fixação e de uma incapacidade para reconhecer como falsas as imagens produzidas pela fantasia. O conteúdo das fabulações, como bem salientou Lange, procede do curso habitual da vida anterior, acontecendo muitas vezes que, achando-se perturbada a capacidade de localizá-las no tempo, lembranças isoladas autênticas completam erroneamente as lacunas da memória.

Nos casos onde existem alterações dos conceitos e desorganização da vida instintiva, pode-se observar a produção rica de conteúdos fabulatórios absurdos e inverosímeis, que, habitualmente, adquirem um aspecto oniróide (como sonhar acordado). Em outros casos, certas imagens oníricas são rememoradas e atualizadas como lembranças autênticas.

A Confabulação ou Fabulação serve para preencher um vazio da memória que o paciente sente e se mostram como se fosse criada para este fim, podendo variar de tema e conteúdo. No sentido mais particular, a Fabulação é, nos estados em que não há delírio, um sintoma de comprometimento orgânico.

constituição caracterológica - Estrutura básica e persistentes de atitudes, traços e padrão de reação da personalidade do indivíduo, atribuível a fatores hereditários modificados por experiências de vida e influências ambientais.

consumo compulsivo periódico de bebida - Padrão de beber intensivamente que ocorre por um período prolongado, propositadamente. Em estudos populacionais, o período usualmente é definido como beber mais que um dia de cada vez. Sinonímia: Ataque de Bebedeira. Ver Tipologia de Jellinek (alcoolismo épsilon).

contágio - Originalmente aplicado a doenças infecciosas, este termo é atualmente aplicado com freqüência a condições psiquiátricas que: (i) espalham-se rapidamente em um grupo de indivíduos similares (p.ex., o koro), ou (ii) espalha-se de um grupo étnico no qual a condição é conhecida, para outro grupo no qual esta condição até então era desconhecida (p.ex.,um colonialista inglês que desenvolve amok na Malásia, ou adolescentes do sudeste da Ásia que desenvolvem transtornos do apetite na Inglaterra). Uma forma de contágio delirante pode ocorrer em associação com certos casos de transtorno delirante com predomínio de elementos somáticos, como p.ex., folie-à-deux, artropofobia, venereofobia. Deve-se, no entanto, fazer a distinção entre o conceito de fenômeno contagioso (relativo às enfermidades transmissíveis) e fenômeno contagiante (relativo à sugestionabilidade).

continuidade nosológica - Construto teórico empregado na taxonomia das doenças, com ênfase na abordagem dimensional para a descrição de estados patológicos e que postula a ausência de limites categóricos e nítidos entre entidades clínicas. Enfoca transições entre estas últimas e se apóia no fato que as variáveis, originalmente tidas como estados mórbidos bem delimitados, mostram uma distribuição contínua quando se aplica uma escala de avaliação para evidenciar uma dimensão mais fundamental, tais como transtornos do pensamento, alterações do humor ou relacionados à hereditariedade.

contratransferência - Reação emocional consciente ou inconsciente do terapeuta ao cliente.

contratransferência cultural - As respostas emocionais do clínico engendradas em função da sua própria cultura, da cultura do paciente e de histórias interculturais desses dois indivíduos e dos seus respectivos grupos. Ver Etnocentrismo.

controle de drogas - A regulamentação, por um sistema de leis e ações, da produção, distribuição, venda e uso de drogas psicoativas (substâncias controladas) em nível local, nacional ou internacional (Ver Convenções Internacionais Sobre Drogas). Usado também como equivalente a políticas sobre drogas (Compare com política sobre O Álcool).

controle de impulsos - Capacidade para resistir a desejos, impulsos ou pressões internas dirigidos a comportamentos autogratificantes sem avaliar as conseqüências.

controle deficiente - Ver Controle Prejudicado.

controle do álcool - 1) Mais comumemente, as regulamentações restringindo ou mesmo controlando a produção e venda de bebidas alcoólicas, geralmente administradas por agências governamentais específicas.

2) Em algumas discussões acadêmicas, a totalidade da intervenção governamental no mercado de bebidas alcoólicas, independentemente de seu objetivo.

3) Na terminologia utilizada em saúde pública com relação aos fatores de risco, pode, em geral, referir-se a políticas de prevenção e tratamento relacionadas ao álcool em geral (embora política sobre o álcool seja menos ambígua, neste contexto).

controle prejudicado - Habilidade diminuída de um indivíduo para controlar o uso de uma substância psicoativa em relação ao início, nível ou término de seu consumo. "Capacidade de controle prejudicada" é um critério para a síndrome de dependência na CID-10. O controle prejudicado é distinto da perda do autocontrole pelo fato do último implicar que o fenômeno prevalece em todos os momentos e todas as circunstâncias.

convenções internacionais sobre drogas - Tratados internacionais relacionados ao controle da produção e distribuição de drogas psicoativas. Tratados iniciais (General Brusseis Act, 1889-90, e a Convenção de St. Germain-en-Laye, de 1912) controlavam, na era colonial, o tráfico de bebidas destiladas na África. O primeiro tratado relacionado com as substâncias controladas atualmente foi a Convenção de Haia, de 1912; suas determinações e sucessivos acordos foram consolidados na Convenção Única de Drogas Narcóticas (1961, emendada por um Protocolo de 1972). A essa foi adicionada a Convenção de Substâncias Psicotrópicas, de 1971, e a Convenção contra o Tráfico Ilícito de Drogas Narcóticas e Substâncias Psicotrópicas, de 1988.

conversão - Ver Transtorno Dissociativo.

convulsão relacionada a álcool ou drogas - Evento do tipo convulsivo que ocorre durante a abstinência ou a intoxicação por álcool ou outras drogas. É caracterizada por perda de consciência e rigidez muscular (acompanhada por parada respiratória temporária), seguida por movimentos despropositados dos membros e tronco. O termo é também usado algumas vezes para incluir convulsões resultantes de danos cerebrais induzidos pelo álcool ou drogas. As convulsões devido à epilepsia idiopática ou a danos cerebrais estruturais conseqüentes a trauma ou infecções em indivíduos com uso de substâncias psicoativas são excluídas desta definição. Sinonímia: Ataques Relacionados ao Álcool ou Drogas.

convulsões dissociativas - Transtorno convulsivo dissociativo que pode simular exatamente um ataque epiléptico em termos de movimentos, mas no qual são raros os sintomas de mordedura de língua, ferimentos por queda e de incontinência urinária. Os sintomas de perda de consciência estão ausentes ou substituídos por um estado de estupor ou de transe.

coprolalia - palilalia - ecolalia - coprolalia é a compulsão em proferir palavras obscenas. Normalmente a Coprolalia está presente nos quadros de tiques vocais. Os tiques vocais podem ser simples comuns, os quais incluem pigarrear, grunhir, fungar, bufar e emitir sons guturais. Os tiques vocais podem ainda ser complexos comuns, os quais incluem repetições de palavras ou frases fora de contexto e, também, a Coprolalia, ou uso de palavras socialmente inaceitáveis, freqüentemente obscenas, a Palilalia repetição de sons ou palavras e a Ecolalia, que é a repetição da última palavra, som ou frase ouvida, como se fosse um eco.

No Transtorno de Tourette são múltiplos os tiques motores e um ou mais tiques vocais. Os tiques vocais do Transtorno de Tourette incluem várias palavras ou sons como estalos, grunhidos, ganidos, fungadas, espirros e tosse (tique vocal simples comum) e a Coprolalia, um tique vocal complexo envolvendo a verbalização de obscenidades. Este tipo de tique está presente em torno de 10% das pessoas com este transtorno.

copropraxia - Gestos obscenos e uma forma de ecopraxia que ocorrem no transtorno de tiques vocais e motores múltiplos (Síndrome de Tourette).

coréia - Coréias são alterações dos movimentos voluntários e que consistem de movimentos de dança, aleatórios, irregulares e não-repetitivos, espasmos com extensão e contração involuntárias de membros, responsáveis muitas vezes pela quebra de objetos.

A chamada Coréia de Sydenham é uma complicação não incomum da Febre Reumática e normalmente apresenta, juntamente com os movimentos coréicos, instabilidade do humor e até fenômenos alucinatórios. Já a Coréia de Huntington, também chamada de Coréia Maior, evolui com quadro de demência mental.

A Coréia deve ser distinguida de outras alterações dos movimentos voluntários, como é o caso dos Movimentos Distônicos, que são movimentos mais lentos e giratórios e ocorrem entre estados prolongados de tensão muscular. Também existem os Movimentos Atetóides que são movimentos lentos e irregulares de contração, mais freqüentemente dos dedos das mãos e dos pés.

Tem ainda os Movimentos Mioclônicos que são contrações musculares breves, tipo choque, que podem afetar partes dos músculos ou grupos musculares, comumente em pequenos grupos musculares da face, em torno dos olhos ou de membros superiores.

Ainda dentro das alterações dos movimentos voluntários, existem os Movimentos Hemibalísticos, que são movimentos intermitentes, grosseiros, amplos e unilaterais dos membros. Já, os Espasmos, são movimentos estereotipados, mais lentos e mais prolongados, envolvendo grupos de músculos. O espasmo hemifacial consiste de contrações irregulares, repetitivas e unilaterais dos músculos faciais.


corpúsculos granulovacuolares - Lesão histopatológica encontrada na doença de Alzheimer e em outros processos degenerativos cerebrais; trata-se de inclusões de grânulos acidófilos em vacúolos de 3 a 5 mu de diâmetro. A lesão é observada fundamentalmente nas células piramidais do hipocampo. Sinonímia: Degeneração Granulovacuolar.

couvade - Ver Resguardo.

crack - Ver cocaína.

craving - Necessidade imperiosa de uma substância psicoativa ou de seus efeitos intoxicantes. Craving é um termo popular usado para o mecanismo que se supõe estar na base do controle prejudicado: alguns acreditam que esse desejo aumente, pelo menos parcialmente, como resultado de associações condicionadas que evocam respostas de abstinência condicionada. O craving pode também ser induzida pela evocação de algum estado psicológico semelhante à síndrome de abstinência do álcool ou drogas. Ver Abstinência Condicionada; Compulsão; Controle Prejudicado; Síndrome de dependência.

crianças de rua - Crianças ou adolescentes privados dos pais podem exibir a compreensão e a capacidade de decisão de um adulto, mas não ter a elasticidade mental e emocional, a capacidade de confiar e estabelecer relações adultas e a capacidade de funcionar psicologicamente como um adulto. Este fenômeno pode ser visto em crianças com pais mentalmente perturbados (alcoolistas, esquizofrênicos), com pais fisicamente deficientes (cegos, surdos), com pais socioculturalmente prejudicados (imigrantes ou refugiados que não se aculturaram com sucesso), sem pais, ou crianças adotadas que passaram por uma série de famílias. Ver Alienação; Privação Ambiental.

criança maltratada - Criança ou bebê que sofreu ferimentos repetidos que podem incluir fraturas ósseas, danos neurológicos e psicológicos e abuso sexual infligidos por um dos pais, de ambos ou de seus substitutos. O abuso ocorre repetidamente e, freqüentemente, é precipitado por um comportamento sem importância e normal, mas irritante, da criança.

crise - Ver Reação de Crise.

crise da meia-idade - Precipitação de um sentimento de crise durante a meia-idade como resultado de mudanças de idade e de status que acompanham a meia-idade, particularmente em algumas sociedades industrializadas. Estas mudanças podem ocasionar uma crise emocional que pode durar algumas semanas ou mais. A experiência pode precipitar mudanças dramáticas e bruscas no estilo de vida ou no comportamento. É mais comum em culturas que desvalorizam o envelhecimento e valorizam a juventude. A idade de ocorrência destas crises pode diferir de homens para mulheres dependendo de papéis culturais, valores e símbolos específicos. Ver Reação de Crise.

culto - Sistema de devoção religiosa, credo ou seita caracterizado pela ritualização da comunicação com uma divindade que é homenageada, venerada ou adorada. O culto é característico do teísmo, embora tenha raízes no animismo (como no caso do culto dos antepassados e dos cultos de orixás). Mais recentemente, o termo tem sido aplicado para caracterizar novas seitas estabelecidas por líderes carismáticos que exigem total devoção e promovem forte dependência entre seus seguidores. Muitas destas novas seitas têm proliferado em sociedades urbanas e industrializadas, especialmente entre pessoas alienadas ou socialmente isoladas que vêem pouco significado ou propósito em suas vidas. Embora muitos devotos não tenham transtornos psiquiátricos, os psiquiatras freqüentemente encontram ex-devotos praticantes de um culto com problemas de ajustamento à vida fora da seita (que anteriormente supriam todas ou a maioria de suas necessidades psicológicas, sociais e materiais).

culto de carga - Cultos de carga são movimentos socioreligiosos nos quais a crença central envolve a entrega de bens preciosos (a "carga") por uma divindade. Seu início teve lugar no Pacífico Sul durante a Segunda Guerra Mundial, quando os nativos observaram navios e aviões entregando imensas cargas às tropas aliadas. 

Inconscientes da origem destes bens, alguns nativos atribuíram a carga a deuses beneficentes. Movimentos similares têm ocorrido em outras partes do mundo. Vários líderes destes movimentos, bem como mais esporadicamente alguns de seus seguidores, apresentam vários quadros psiquiátricos (por exemplo, esquizofrenia, mania, paranóia, tireotoxicose), donde a expressão "síndrome do culto de carga".

O jogo patológico também tem sido relacionado à síndrome do culto de carga, já que ambos envolvem a expectativa de receber algo imerecido (José Manoel Bertolote - Glossário de Termos de Psiquiatria, 1997 - Artes Médicas).

culto zar - Uma religião do Oriente Médio na qual são realizadas danças em grupo, música, transes e/ou cantos com finalidade de tratamento. Muitos adeptos têm transtornos psiquiátricos.

cultura - A totalidade das crenças e valores transmitidos entre os membros de uma sociedade por meio da aprendizagem. Tal sistema de idéias fornece significados que definem tudo o que é percebido como existente e que é fundamental na estruturação de padrões particulares de comportamento interpessoal e de relações sociais.

curandeiro - Ver Xamã.